Nossa escola compreende que a capoeira pode contribuir com a sociedade, consideramos esta prática uma manifestação socializadora e entendemos que nossa missão é agregar valores e pensamentos positivos em favor do fortalecimento da coletividade, da musicalidade e da valorização da cultura. O senso coletivo para um mundo sustentável, a musicalidade para a harmonização dos povos e a valorização da diversidade sócio-cultural para fortalecer as culturas locais e contribuir com a distribuição de renda. O jogo da capoeira é na maioria das vezes a principal razão pela qual os alunos procuram as escolas, associações, ou grupos de capoeira, no entanto a capoeiragem não pode ser encarada como um mero combate corporal, é preciso teatralidade, é preciso galhardia, a capoeiragem é um jogo que tem estratégia, elegância e gentileza, mas também oferece suas ambiguidades, como nos momentos de picardia. Tudo faz parte do fundamento. Acima de tudo o jogo não pode incitar a violência embora saibamos das possibilidades marciais da prática. O capoeira (praticante) não pode comportar-se como Feitor, a escravidão acabou e a Capoeira é um símbolo da luta contra a sociedade escravista e o preconceito. A revolução se faz pelo conhecimento e por tanto a capoeiragem resiste transformando a forma de pensar de seus praticantes. O processo é a construção de novas rodas e tudo esta apenas começando. Buscamos transformar através de uma prática com raízes afro-indígenas, filha da escravidão brasileira que já deu a volta no mundo.

Difundir a capoeira em todos os cantos, essa é nossa idéia.

Compartilhe!

© ECIBA - (Acessar E-mails). Todos os direitos reservados. Desenvolvido por ZnTECH.